07/06/2022
Plano de Ação orienta nova padronização no levantamento patrimonial da Sepog

Compreendida como uma ferramenta importante para o controle de bens públicos, o inventário patrimonial da Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (Sepog), referente ao ano de 2022, seguirá um novo Plano de Ação com foco na padronização das atividades a serem desenvolvidas pelo Núcleo de Patrimônio (NPAT) do órgão.

Além de seguir as orientações das normas e manuais vigentes sobre gestão patrimonial, o Plano de Ação prevê a utilização da metodologia do ciclo PDCA (método que busca a melhora contínua de processos por meio do planejamento e medição de resultados). “Essa iniciativa representa mais uma inovação no aperfeiçoamento das rotinas de trabalho no âmbito interno da Sepog. Nós entendemos que para desenvolver as competências do órgão com qualidade é preciso adotar estratégias eficientes e concisas com foco na padronização e qualidade”, disse a coordenadora administrativa financeira da Sepog, Pascalini  Carvalho.

De acordo com o núcleo que coordena os trabalhos, o Plano de Ação passará pelas etapas de conscientização dos servidores, levantamento dos bens in loco, impressão e colagem de etiquetas, registro fotográfico, catalogação de fotos, transferência dos bens para a plataforma E-Estado (Sistema que integra a gestão administrativa governamental) e a consolidação final do inventário.

“A execução do Plano fortalece também os processos de transparências adotados como prioridade na atual gestão, pois impõe controle nas aquisições públicas contribuindo para economicidade do Estado”, destacou a coordenadora.

Inventário

De acordo com o manual elaborado pelo NPAT, O inventário físico é a ferramenta de controle que permite identificar falhas e efetuar as correções das operações que vêm sendo realizadas, por meio da verificação física do acervo patrimonial existente.  A utilização desta ferramenta é legalmente exigida a todos os órgãos da Administração Pública.

Imagens